Politica

Autárquicas. Distrital de Lisboa do PSD saúda candidatura de Carlos Moedas

Carlos Moedas, o ex-comissário europeu e atual administrador da Fundação Gulbenkian, será o candidato do PSD à Câmara Municipal de Lisboa, contra o socialista presidente em exercício Fernando Medina. 

A distrital de Lisboa do PSD saudou a candidatura de Carlos Moedas à presidência da Câmara Municipal de Lisboa.

De realçar que Carlos Moedas vai ser o candidato da coligação liderada pelo PSD, e que incluirá também o CDS, a Lisboa, contra o atual presidente da Câmara, o socialista Fernando Medina. O anúncio formal estava previsto apenas para meados de março mas acabou por ser antecipado para ontem, na sede nacional do partido, depois da notícia ter sido avançada pelo Nascer do SOL.

A distrital de Lisboa do PSD já reagiu e num comunicado a que o Nascer do SOL teve acesso, esta sexta-feira, considera que Carlos Moedas “representa o que de melhor a política portuguesa produziu nos últimos anos e é uma referência para uma nova geração”.

“A Comissão Política Distrital de Lisboa do PSD saúda a escolha do Eng. Carlos Moedas para protagonizar candidatura à presidência da Câmara Municipal de Lisboa, efetuada pelo presidente do partido, manifestando igualmente a sua satisfação pelo Eng. Carlos Moedas ter aceitado este importante desafio”, lê-se.

Carlos Moedas “é uma pessoa íntegra e generosa, um homem culto e bem preparado, um líder motivador de equipas, um político muito competente, e um vencedor nato. Representa o que de melhor a política portuguesa produziu nos últimos anos e é uma referência para uma nova geração da nossa Democracia: uma geração mais preparada, cosmopolita, aberta às novas ideias, e com uma ambiciosa vontade de mudança”, acrescenta a mesma nota, que destaca o “percurso cívico e político” do antigo secretário de Estado.

Ângelo Pereira, líder da distrital, defende que Carlos moedas é o única canditado da “mudança” e da “alternativa ao esquerdismo que atrasa Lisboa”.

"Carlos Moedas é muito mais do que o candidato da centro-direita a Lisboa. É o único candidato da mudança, o candidato da alternativa ao esquerdismo que atrasa Lisboa e a afasta da bitola das grandes capitais europeias”, considera o presidente da distrital social democrata de Lisboa.

A estrutura do PSD distrital da capital destaca ainda que Carlos Moedas é o candidato “mais qualificado e mais bem preparado” para se bater contra Fernando Medina e vencer a um PS “instalado e imobilista”.

No referido comunicado, o PSD distrital de Lisboa refere que “infelizmente a Câmara Municipal de Lisboa está hoje capturada pelo imobilismo” e faz “um balanço francamente negativo do mandato da gestão socialista da Câmara Municipal de Lisboa”, sendo Carlos Moedas “a pessoa mais indicada para protagonizar uma alternativa ambiciosa que mobilize as energias das pessoas e sirva os anseios da população da capital do país”.

“Nestes termos a Distrital de Lisboa do PSD iniciará desde já o seu trabalho de apoio ao candidato Carlos Moedas congregando todas as estruturas do Partido existentes no Concelho de Lisboa e chamando todos os seus militantes a esta tarefa. Os militantes do PSD darão o seu melhor em Lisboa nesta missão empolgante”, frisa a estrutura.

Uma vez que se trata da capital do país, a escolha do candidato foi pessoalmente assumida pelo líder do partido, Rui Rio, que sempre teve o nome de Carlos Moedas em cima da sua mesa. Como, aliás, também o confirmou na conferência de imprensa conjunta com o candidato, ontem ao final da tarde, na S. Caetano à Lapa.

O Nascer do SOL apurou que o ex-comissário europeu e atual administrador da Fundação Calouste Gulbenkian só comunicou nos últimos dias a Rui Rio a sua aceitação do convite que lhe fora por este dirigido.

Rio tencionava anunciar o seu candidato a Lisboa apenas daqui a uns dias, mas uma fuga de informação, porém, tornou inevitável a divulgação pública da candidatura de Moedas, que foi mesmo objeto de conversas informais entre o Presidente Marcelo e Fernando Medina.