Economia

Mais de metade das empresas com queda do volume de negócios

Dados do Banco de Portugal e do INE revelam estado das empresas na primeira quinzena de fevereiro.

Na primeira quinzena de feveiro, 62% das empresas registaram uma redução do volume de negócios dace ao mesmo período do ano anterior, antes dos efeitos da pandemia. Esta é uma das conclusões do inquérito às empresas realizado em conjunto pelo Banco de Portugal (BdP) e pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os dados, revela ainda que, nesse período, 92% das empresas estavam em produção ou funcionamento, mesmo que parcialmente.

Apesar das quebras, quase um terço das empresas tem boas perspetivas para o futuro e, "admitindo o controlo efetivo da pandemia em 2021", 32% consideram que o volume de negócios voltará ao normal num intervalo médio de 10,1 meses. No entanto, 10% das empresas consideram que não vão voltar ao nível normal.

Os dados deste inquérito conjunto apontam ainda que 67% das empresas registaram um volume de negócios nesta quinzena igual ou superior ao registado durante o primeiro confinamento.

No que diz respeito às medidas de apoio governamentais, entre 5% a 24% das empresas respondentes beneficiam atualmente de cada uma dessas medidas, sendo que destas, a grande maioria considera-as muito importantes para a sua situação de liquidez.

Nas circunstâncias atuais e na ausência de medidas adicionais de apoio, 68% das empresas estimam conseguir permanecer em atividade por um período superior a seis meses.

Sem estas medidas, 10% das empresas dizem que não se encontrariam em funcionamento e 25% das empresas ter-se-iam mantido em atividade apenas com alguma probabilidade.