Politica

Catarina Martins pede a Costa que não espere que "seja tarde demais" e estenda já as moratórias

"Não espere que seja tarde demais, não espere pelo início dos despejos e das falências"

Catarina Martins deixou, este sábado, um apelo a António Costa. A coordenadora do BE, que discursava num comício virtual, aproveitou o momento para pedir ao primeiro-ministro para que não espere que "seja tarde demais" e decida já estender as moratórias, evitando uma vaga de despejos e falências.

Depois de expressar preocupação sobre as moratórias, e de criticar o erro "de desistir de colocar o investimento na habitação no coração do Plano de Recuperação", a líder do BE deixou um apelo.

"E por isso hoje, deixo aqui hoje este apelo a António Costa: não espere que seja tarde demais, não espere pelo início dos despejos e das falências. As moratórias têm de ser estendidas já. Os planos de reestruturação das dívidas têm de ser iniciados já", pediu, destacando que "esta não é uma decisão que possa esperar".

"As moratórias sobre as hipotecas da Associação Portuguesa de Bancos terminam em março. Março é já amanhã. O Governo prometeu que seriam transferidas para as moratórias do Estado, que terminam em setembro, mas isso não aconteceu", criticou.

Para Catarina Martins é urgente planear o fim da pandemia e "proteger a casa de morada da família". "Não é aceitável que, quem tanto perdeu com a crise, perca também a casa com o fim das moratórias", considerou.

"É necessário garantir que todas as moratórias são estendidas, porque a crise está longe do fim, é necessário garantir também que o fim das moratórias acompanha a recuperação. Para as famílias como para as pequenas empresas. Se as moratórias acabarem antes de se iniciar a recuperação económica, teremos uma nova vaga e esta será a vaga dos despejos e das falências", alertou.