Economia

Nova etiqueta energética nas lojas a partir de segunda-feira

A nova etiqueta será introduzida nas lojas físicas e online a partir desta segunda-feira, 1 de março, inicialmente apenas para quatro grupos de produtos: aparelhos de refrigeração, máquinas de lavar roupa e máquinas combinadas de lavar e secar roupa, máquinas de lavar louça e televisores e ecrãs eletrónicos. Para as fontes de luz a nova etiqueta energética entra em vigor partir de 1 de setembro.


A partir desta segunda-feira, 1 de março, os mais recentes aparelhos como máquinas de lavar, frigoríficos, televisores, entre outros, vão passar a exibir ao consumidor uma nova etiqueta energética. A principal novidade desta nova etiqueta é a escala de classes de eficiência energética que regressa à sua forma original, de A (mais eficiente) a G (menos eficiente), cumprindo assim o desejo de muitas organizações de consumidores que reivindicavam uma nova etiqueta energética junto da União Europeia (UE).

Para garantir a boa implementação desta medida e apoiar o mercado português na introdução da nova etiqueta energética, a ADENE lançou o site https://www.novaetiquetaenergetica.pt/, disponibilizando informação aos consumidores e profissionais.

Nos últimos 25 anos, a etiqueta energética da UE tem sido um instrumento essencial de apoio ao consumidor na compra de produtos energeticamente mais eficientes. Segundo o estudo Special Eurobarometer 492, 93% dos consumidores reconhecem a etiqueta energética e 79% toma a mesma em consideração aquando da decisão de aquisição de novos produtos.

Ao mesmo tempo, a etiqueta energética impulsiona a indústria, motivando os fabricantes a inovar e desenvolver produtos mais eficientes, que se apresentem nas classes superiores da escala energética.

Fruto dos avanços tecnológicos, a escala de eficiência energética foi sofrendo adições de classes “+” e são já várias as categorias de produtos que apresentam somente produtos de classe “+” no mercado.

O que vai mudar? A escala da etiqueta utilizada atualmente, de A+++ a G, tornou-se menos eficaz. O facto de as etiquetas envolverem muitos “+“ tornava difícil a diferenciação entre as classes de produtos, para além de que a grande maioria dos produtos no mercado se situa já nas classes superiores da escala – A, A+, A++ ou A+++ – dificultando a distinção entre os produtos mais eficientes.

Atendendo a este facto, a Comissão Europeia publicou um novo regulamento, revendo e atualizando vários dos procedimentos de ensaio para determinação do desempenho energético dos produtos etiquetados, o que resultou numa nova etiqueta energética, com um novo grafismo e uma nova escala energética, comum para todos os produtos entre A a G. Para além disso, as novas etiquetas energéticas apresentam também um código QR que permite o acesso direto à base de dados de produtos da Comissão Europeia, EPREL, facilitando o acesso à informação sobre todos os produtos comercializados no espaço económico europeu. Adicionalmente, a etiqueta apresenta ainda novos pictogramas que complementam a informação ao consumidor.

A nova etiqueta será introduzida nas lojas físicas e online a partir desta segunda-feira, 1 de março, inicialmente apenas para quatro grupos de produtos: aparelhos de refrigeração, máquinas de lavar roupa e máquinas combinadas de lavar e secar roupa, máquinas de lavar louça e televisores e ecrãs eletrónicos. Para as fontes de luz a nova etiqueta energética entra em vigor partir de 1 de setembro.