Economia

Sindicato acusa Groundforce de recusar acordo para pagar salários

STTAMP acusou esta segunda-feira Alfredo Casimiro de recusar empréstimo que previa como contrapartida e garantia  as ações que o mesmo detém na empresa. Recorde-se que Groundforce (SPdH), empresa de handling do grupo TAP, informou na semana passado os cerca de 2400 trabalhadores que não vai conseguir pagar os salários de fevereiro, pelo menos nos próximos 15 dias.


O Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes de Portugal (STTAMP) acusou esta segunda-feira Alfredo Casimiro, presidente da Groundforce, de recusar uma proposta para desbloquear as verbas necessárias para o pagamento dos salários dos trabalhadores que previa como contrapartida e garantia do empréstimo as ações que o mesmo detém na empresa através da entidade Pasogal SGPS. “Tanto quanto sabemos essa proposta foi recusada, sendo que se mantém o impasse que de outro modo não terá fim à vista”, refere o sindicato em comunicado.

Recorde-se que Groundforce (SPdH), empresa de handling do grupo TAP, informou na semana passado os cerca de 2400 trabalhadores que não vai conseguir pagar os salários de fevereiro, pelo menos nos próximos 15 dias.

Numa carta interna dirigida aos trabalhadores, Alfredo Casimiro, presidente da empresa, admite que tem conseguido sobreviver apenas com o apoio do grupo TAP – que detém 49,9% do seu capital social – mas, neste momento, nem isso lhe poderá valer. “O conselho de administração da TAP informou hoje [quinta-feira, dia 25 de fevereiro] não lhe ser possível conceder este auxílio que, acreditamos, seria o último antes da contratualização do empréstimo bancário com garantia de Estado”, lê-se na nota.