Internacional

Seis jornalistas detidos em Myanmar

Estão acusados de violar a ordem pública.


Quatro jornalistas, um fotógrafo e um jornalista freelancer estão a ser processados por violarem um artigo do código penal, alterado pela junta militar poucos dias depois do golpe de Estado de 1 de fevereiro no Myanmar.

A nova alteração à lei visa punir aqueles que “causaram medo na população, espalham informações falsas (..) ou incitaram à desobediência e deslealdade dos funcionários públicos” para com as autoridades.

Sublinhe-se que desde o golpe militar já foram detidos mais de 34 jornalistas, até à data 19 ainda se encontram presos.

O exército militar detém o controlo do país desde o dia 1 de fevereiro sob a premissa de ter existido fraude eleitoral nas eleições de novembro, mesmo depois da Comissão Eleitoral de Myanmar negar tal acontecimento.