Vida

Tribunal decide que ex-marido de Sofia Vergara não pode usar embriões que congelou com a atriz sem o seu consentimento

Sofia Vergara e Nick Loeb foram submetidos juntos a um processo de fertilização in vitro antes de se separarem em 2014. A atriz conseguiu uma proibição, por parte do tribunal de Los Angeles, que impede o empresário Nick Loeb de usar o seu material genético sem que ela dê "consentimento explícito e por escrito".


Desde 2014 que Sofia Vergara se encontra numa guerra aberta contra o seu ex-parceiro. Em causa estão os pré-embriões congelados que criaram por fertilização in vitro no ART Reproductive Center em Beverly Hills quando ainda estavam juntos. Mas após o término da relação, enquanto Loeb queria mantê-los, Vergara queria destruí-los. Desde esse tempo, as duas caras mediáticas enfrentam um confronto jurídico e verbal que está prestes a terminar.

Na terça-feira, Sofia Vergara conseguiu que o Tribunal Superior de Los Angeles, Califórnia, lhe concedesse uma ordem judicial permanente que proíbe o empresário de usar os embriões sem o "consentimento explícito e por escrito". Segundo o Page Six, o juiz também considerou que o contrato preestabelecido foi quebrado por Nick Loeb, ao abrir um fideicomisso [disposição testamentária em que um herdeiro ou legatário é encarregado de conservar e, por sua morte, transmitir a outrem a sua herança ou o seu legado], para os embriões, no estado do Louisiana, tendo também processado no mesmo estado norte-americano a custódia do material genético.

Segundo fontes judiciais, esta medida cautelar imposta pelo juiz Rafael Ongkeko proibirá Nick Loeb de “fazer valer unilateralmente qualquer ação ou demanda por parte dos embriões com o objetivo de utilizar os embriões unilateralmente sem o consentimento de Vergara ”.

Os confrontos percorrem um longo caminho. No final de 2016 Sofia Vergara exigiu que o ex-marido revelasse a identidade de duas namoradas que haviam abortado de filhos seus, depois de Loeb deixar claro que queria a custódia total dos embriões, que já considerava seres humanos, para que pudesse implantá-los numa barriga de aluguer. Face à exigência da atriz, que foi aceite pelo tribunal, o empresário acabou por desistir.

Em 2017, a atriz venceu a primeira fase da batalha quando um juiz descartou que Louisiana fosse o local correto para o procedimento judicial, já que os embriões foram concebidos na Califórnia e permanecem congelados lá, numa clínica de Beverly Hills, à espera de uma decisão legal. Mas o assunto continuou e em 2018 o empresário tentou novamente, embora Vergara tenha tentado destruir o álibi que dizia que o seu ex-marido morava em Louisiana e que, por isso, poderia continuar com sua luta judicial nos tribunais deste estado mais conservador.

No ano seguinte, a colombiana acusou o seu ex-parceiro de ter mentido sob juramento, alegando que tanto ele como o seu advogado retiveram, intencionalmente, documentos e provas.

Com esta última decisão do tribunal, a atriz vê agora uma luz ao fundo do túnel, numa batalha jurídica que já dura há 7 anos.