Cultura

Mural na freguesia de Alvalade homenageia Carlos do Carmo

Uma obra do artista urbano Mário Belém, na freguesia de Alvalade, em Lisboa, eterniza o fadista Carlos do Carmo com o tema "Lisboa Menina e Moça".

Junta de Freguesia de Alvalade

Esta quarta- feira, foi divulgado o mural pintado pelo artista urbano Mário Belém que homenageia Carlos do Carmo, fadista falecido no início deste ano. As fotografias da obra já terminada foram partilhadas pela Junta de Freguesia de Alvalade.

“Lisboa Menina e Moça”, foi o mote escolhido para este mural que pode ser apreciado na Biblioteca Manoel Chaves Caminha. Para além de ser o título de um dos fados mais icónicos de Carlos do Carmo, “Lisboa Menina e Moça”, acabou por se tornar a canção oficial da capital.

“Quando recebi o convite, fiquei um pouco atrapalhado pois pensei que era para fazer um retrato de Carlos do Carmo. Depois percebi que a ideia seria uma interpretação minha. Fiquei muito feliz pois Carlos do Carmo é um ícone”, admite Mário Belém, em declarações à Lusa.

O mural levou seis dias para ser executado e possui símbolos da cidade de Lisboa. Entre os quais o Santo António, o elétrico, o manjerico, um corvo, um vinil do fadista e a Torre de Belém.

O artista urbano explicou que, pertencendo a obra à fachada de uma biblioteca, quis “fugir ao óbvio” e em vez de ilustrar uma “varina”, optou por representar uma “menina e moça”, sentada num monte de livros.

Mário Belém admite que a obra veio oferecer mais visibilidade ao edifício:  “Um facto curioso é que muita gente que vivia do outro lado da rua desconhecia que este edifício era uma biblioteca. Este mural acaba por dar outra visibilidade e valorização ao espaço”, comentou.

Carlos do Carmo morreu a 1 de janeiro deste ano, aos 81 anos, no Hospital de Santa Maria. Contudo, a memória daquele que foi uma das figuras mais emblemáticas do nosso fado, está espalhada nos caminhos de Lisboa.