Sociedade

PJ investiga morte de duas idosas na mesma semana em lar ilegal

Uma das idosas estaria morta há vários dias, sem a família ter sido informada.

A família de uma mulher de 90 anos, que residia num lar ilegal em Torres Novas, terá chamado a GNR quando, no início desta semana, se preparava para a levar para outra instituição e descobriu que a idosa estava morta.

Mais tarde, na quarta-feira, as autoridades voltaram a ser chamadas ao mesmo lar, desta vez chamadas pelo INEM que tentou socorrer, sem sucesso, uma idosa em paragem cardiorrespiratória, segundo o Jornal de Notícias.

O facto de terem ocorrido duas mortes num curto espaço de tempo no mesmo local levou a GNR a contactar a Polícia Judiciária de Leiria.

"Estamos a investigar para perceber se há conduta criminal. Estamos dependentes de autópsias, exames e inquirições às pessoas envolvidas, familiares e quem trabalha neste lar, para perceber se houve responsabilidade criminal. Ainda há muitas diligências para fazer", adiantou a PJ de Leiria à mesma publicação.

A mesma fonte afirmou ainda que haveria indícios de que a mulher de 90 anos já estaria morta há alguns dias, tendo em conta o estado em que se encontrava o corpo “à partida, [a morte] não seria recente", mas “só a autópsia nos pode revelar” mais.

No lar ilegal estariam mais duas pessoas, de 85 e 84 anos, ao cuidado apenas da proprietária. Ambos os idosos entretanto foram transportados para o hospital.