Politica

Após controvérsia, Rio avisa que autarcas podem ser "postos de lado" se se portarem "menos bem"

Rio defende que processo que levou ao anúncio dos mais de 70 candidatos do PSD às autárquicas foi “rigorosamente igual” ao de anos anteriores.


Depois do anúncio dos 77 recandidatos do PSD a presidente de Câmara gerar indignação entre alguns autarcas, nomeadamente por considerarem que a sua estratégia foi condicionada, Rui Rio já reagiu e deixou um aviso: se começaram a portar-se "menos bem", podem ser "rapidamente postos para o lado".

“Até podem, alguns, estarem à beira de ser homologados e, de repente, começam a portar-se menos bem e podem ser rapidamente postos para o lado e abrimos o processo do princípio", avisou o presidente do PSD, em declarações aos jornalistas no Porto, onde esteve reunido com o Movimento a Pão e Água.

Rio sublinhou ainda que o processo que levou ao anúncio dos mais de 70 candidatos do partido às autárquicas foi “rigorosamente igual” ao de anos anteriores.

"Eu sou uma pessoa, às vezes, intelectualmente limitada e há coisas que eu não consigo entender. Eu já aqui ando há muitos anos, isto que aconteceu esta semana é rigorosamente igual àquilo que eu vi anos atrás", afirmou o líder social-democrata, referindo que salvo "situações absolutamente extraordinárias", o PSD sempre apoiou os presidentes de câmara do partido em exercício.

"O que o secretário-geral disse foi isto, portanto eu não consigo entender o resto", defendeu, referindo-se a José Silvano, responsável pelo anúncio que foi feito na quarta-feira passada.

"Quando me arranjarem uma comunicação da direção nacional do PSD, desde 1976 até hoje, que dissesse que aqueles presidentes de câmara do PSD que estão em funções, quando se quiserem candidatar-se, logo veremos se apoiamos ou não, então eu direi: fizemos diferente. É que eu ouvi sempre o contrário e participei em muitas", insistiu, recusando acusações de abuso de confiança e destacando que os 77 presidentes de câmara serão candidatos "no dia que quiserem apresentar a sua homologação".

Recorde-se que o anúncio - 77 recandidaturas e 23 nomes de candidatos para concelhos onde os sociais-democratas não lideram as câmaras - tinha tudo para ser apenas mais uma etapa do calendário interno do PSD para as autárquicas, mas acabou a gerar controvérsia, depois de o presidente da Câmara de Ovar e vice-presidente do PSD, Salvador Malheiro, se mostrar surpreendido com o anúncio feito por José Silvano.

“Agradeço muito a confiança e a deferência do meu partido, contudo quero esclarecer que continuo Presidente da Câmara Municipal de Ovar e no seu devido tempo decidirei se sou ou não recandidato para mais um mandato”, escreveu Salvador Malheiro nas redes sociais.

Contudo, as palavras de Salvador Malheiro a lembrar que quem decide o seu futuro em Ovar é o próprio também foi extensível a outros autarcas do PSD.