Politica

Francisco Camacho eleito novo líder da JP

“Na JP não se troca uma ideia por um favor, um valor por um lugar, uma traição por uma oportunidade”, disse no discurso de vitória.

O Congresso Nacional da Juventude Popular (JP), realizado online, elegeu ontem o candidato único Francisco Camacho como novo presidente, que assumiu a estrutura como “o catalisador” que o CDS-PP precisa e prometeu mobilização nas eleições autárquicas deste ano.

“Na JP não se troca uma ideia por um favor, um valor por um lugar, uma traição por uma oportunidade”.

No discurso de vitória, o novo presidente desta juventude partidária defendeu que o congresso -- realizado online devido à pandemia -- "provou que há uma JP que não se resigna nem atira a toalha ao chão, que estará aqui, também com o partido, pelo nosso amanhã e pela reconstrução do país".

"Em 2021 vão contar com uma JP muito mobilizada em torno do desafio autárquico, uma JP que estará nas ruas, que quer construir pensamento para cada uma das realidades onde está inserida, quer dar respostas às comunidades e uma JP com candidatos e bons candidatos", prometeu.

Francisco Camacho disse acreditar que "a JP pode ser o catalisador também que o partido precisa, com envolvimento, com agenda e com união".

"É com isso que podem contar: com uma JP contribuir decisivamente para responder ao futuro do país, mais com medidas do que com enunciados líricos, com ideologia e com consequências práticas", comprometeu-se, deixando ainda a garantia de uma estrutura partidária leal.

A ideia de que "as juventudes partidárias não servem para abanar bandeiras", mas sim "para agitar ideias, apresentar propostas para as novas gerações e auxiliar o partido em todas as tarefas de contacto com o eleitorado" tinha sido anteriormente defendida pelo presidente do CDS-PP, para quem estas "são figura principal no combate político da direita moderna e democrática que o CDS representa".