Internacional

Piloto foi resgatado depois de passar quase 40 dias perdido na floresta amazónica

Logo após o desaparecimento, a Força Aérea brasileira iniciou buscas que duraram apenas cinco dias. Família não desistiu de procurar pelo piloto. 

Um piloto, que estava desaparecido desde janeiro, foi resgatado, este sábado, depois de passar 36 dias perdido na floresta amazónica, no Brasil.

O acidente aconteceu no dia 18 de janeiro, enquanto o piloto, Antônio Sena, de 36 anos, realizava um voo entre os municípios brasileiros de Alenquer e Almeirim, no Pará.

Em declarações à TV Globo, Antônio contou que passou um mês a alimentar-se com ovos e frutas que encontrava na floresta.

“As minhas prioridades sempre foram buscar água e tentar buscar alimento, seja ele qual fosse”, contou.

Logo após o desaparecimento, a Força Aérea brasileira iniciou buscas que duraram cinco dias, mas foram encerradas por não haver vestígios, nem da aeronave, nem do piloto. Desde então, os irmãos de Antônio deram início a uma campanha nas redes sociais, que levou vários voluntários a ajudar nas buscas pelo piloto.

Na quinta-feira, nas redes sociais, a irmã de Antônio revelou que tinham finalmente encontrado uma pista que os podia levar até ao irmão. "Estamos nos preparando para esse momento: são mais de 30 horas de barco, 30 minutos de voo e aproximadamente sete dias a pé para percorrer a área", disse no Facebook.

No sábado, o piloto acabou por ser resgatado e teve de receber assistência hospitalar. Depois de mais de 30 dias a caminhar na floresta, Antônio encontrou trabalhadores que estavam a apanhar castanhas e foi assim que conseguiu pedir ajuda.

"Já eram entre 15h30 e 16h e caminhando no meio da mata eu vi uma coisa branca. Quando tirei a lona, vi um paneiro com castanha e as ferramentas pra abrir ouriço. Fui procurando a trilha [dos coletores]", afirmou Antônio Sena, que se conseguiu encontrar com os homens.

"Posso dizer que a única coisa que me manteve forte para sair daquela situação foi o amor que eu tenho pela minha família e a vontade de ver meus irmãos, meus pais", contou.

Após ser resgatado, Antônio contou que a aeronave que pilotava deixou de funcionar e conseguiu aterrar num vale, desviado das árvores maiores.

“Como é tudo muito rápido, eu só lembro de conseguir sair do cockpit e minha mochila estava jogada do lado, peguei minha mochila, um saco de pão, algumas coisas e me afastei da aeronave, que tinha muito óleo diesel. Aí peguei uma corda e o que pude pegar que tinha na aeronave e que fosse me ajudar no meio do mato. Não demorou muito e a aeronave começou a pegar fogo. Ela está queimada. Uma parte esta queimada”, detalhou.

“Se fosse para resumir essa história, eu diria que é uma história de amor e fé", disse, depois de agradecer a todos aqueles que não desistiram de o procurar.