Sociedade

PJ participou em operação internacional que acabou com uma das maiores plataformas de TV pirata

Serviços foram oferecidos a clientes em todo o mundo, anunciados através de ferramentas online, e geram lucros de pelo menos 5 milhões de euros ao principal suspeito.


A Polícia Judiciária (PJ), em articulação com a Europol e a Eurojust participou, no mês passado, numa operação internacional de combate à fraude online no acesso a serviços de televisão, através de streaming.

Segundo um comunicado da autoridade, a operação, denominada “Streamblock”, decorreu a pedido das autoridades espanholas, envolvendo entidades policiais de Espanha, Andorra, República Checa e Portugal.

A operação resultou na detenção de quatro pessoas - 3 em Espanha e 1 em Andorra - , tendo sido realizadas 3 buscas - 2 em Espanha e 1 em Andorra.

A participação portuguesa, no âmbito de uma decisão europeia de investigação, titulada pelo DIAP de Lisboa, "permitiu a desativação de um servidor que continha aplicações destinadas à partilha ilegal de conteúdos, a apreensão de dados informáticos relevantes, bem como o hardware que suportava a atividade criminosa".

Segundo a Eurojust, a investigação decorreu após queixas da La Liga e da Premier League, que nos últimos anos perceberam que estavam a perder milhões em receitas das transmissões televisivas.

O principal suspeito usou domínios de computador e servidores primários para se conectar ilegalmente a serviços de audiovisual e de streaming que operam legalmente, através da aplicação Mobdro – que já era utilizada por 43 milhões de pessoas. Em Portugal, por exemplo, a aplicação permitia assistir de forma gratuita às transmissões da Sport TV e da Eleven Sports.

Os serviços foram oferecidos a clientes em todo o mundo, anunciados através de ferramentas online, e geram lucros de pelo menos 5 milhões de euros ao principal suspeito.