Internacional

Kate Middleton presente no memorial de Sarah Everard num final de tarde que gerou confrontos entre os presentes e a polícia | Fotogaleria

A sua presença não foi indiferente e todos os seus passos foram captados pela imprensa britânica, apesar das restrições impostas pela covid-19 no país. O final do dia ficou marcado por confrontos entre a polícia e presentes numa vígilia para homenagear Sarah Everard.

AFP
AFP
AFP
AFP
AFP

A duquesa de Cambridge, Kate Middleton, prestou a sua homenagem a Sarah Everard na tarde deste sábado em Clapham Common, no sul de Londres.

Como é habitual, a sua presença não foi indiferente e todos os seus passos foram captados pela imprensa britânica, apesar das restrições impostas pela covid-19 no país.

Segundo uma fonte próxima do palácio de Kensington, Kate Middleton “queria mostrar o seu respeito pela família e por Sarah“, informação que foi revelada pela imprensa britânica no momento de análise sobre as imagens da duquesa a passear pelo memorial recheado de imagens e flores que a comunidade foi criando em Clapham Common.

Ao final da tarde, uma multidão reuniu-se perto do memorial, o que levou a polícia a envolver-se em confrontos com alguns dos presentes, de acordo com a imprensa britânica. Já há registo de detenções. Veja as fotos dos confrontos na fotogaleria.

Apesar do cancelamento do evento “Reclaim These Streets”, que seria realizado na manhã deste sábado, vários grupos disseram que iam estar presentes na vigília, que foi suspensa devido às regras de confinamento que vigoram no Reino Unido.

Porém, vários anónimos ainda marcaram a sua presença no local em que Sarah Everard terá sido vista pela última vez viva. A população foi encorajada a acender uma vela para simbolizar a vida da mulher de 33 anos à porta das suas casas pelas 21h30 de hoje.

O caso de Sarah Everard está a chocar os britânicos, numa semana em que os ânimos já ficaram acesos com a entrevista reveladora de Meghan Markle e Princípe Harry a Oprah Winfrey.

Sarah Everard foi vista pela última vez, no dia 3 de março pelas 21h, quando visitou um amigo perto de Clapham, no sul de Londres. Desde a casa do amigo até à sua casa, em Brixton, a caminhada devia ter demorado 50 minutos, mas acabou por custar a vida de Sarah.