Politica

"Somos ligeiros a confinar e pouco ágeis a obter e comprar as vacinas necessárias", diz Jerónimo de Sousa

Jerónimo de Sousa criticou a "vacinação a conta-gotas".

O líder do PCP, Jerónimo de Sousa, condenou, este domingo,a “vacinação a conta-gotas” contra o vírus que provoca a covid-19 e a submissão de Portugal e da União Europeia (UE) às “grandes farmacêuticas americanas e europeias”.

“Somos ligeiros a confinar e pouco ágeis a obter e comprar as vacinas necessárias. Desconfinamos a conta-gotas porque estamos a fazer uma vacinação a conta-gotas. Nem a UE nem o Governo estão dispostos a comprar vacinas fora dos fornecimentos dos laboratórios das grandes farmacêuticas americanas e europeias, nem a fazer pressão para se libertarem patentes e licenças, como recomendou a Organização Mundial de Saúde (OMS)”, afirmou, no dia em que discursou na sessão pública de homenagem ao nadador e militante comunista Baptista Pereira, no contexto da celebração do centenário do nascimento do atleta, falecido em 1984, aos 63 anos, no cais de Alhandra, à beira do rio Tejo.

O secretário-geral do PCP lembrou que a sua bancada parlamentar tem um projeto de resolução cuja discussão está agendada para o próximo dia 8 de abril no parlamento, com o objetivo de acelerar o processo de vacinação dos cidadãos portugueses. “Esperamos que, nesta matéria, seja colocada em primeiro lugar a vida dos portugueses e não qualquer outro interesse”, esclareceu.