Economia

Lucro da Volkswagen cai 37,5% para 8334 milhões em 2020

A fabricante alemã que, no ano passado, entregou 9,3 milhões de unidades a clientes (-15,2%), considera que “fecha o ano de 2020 com sucesso apesar do impacto da pandemia”.

A Volkswagen teve um lucro líquido atribuído de 8334 milhões de euros no ano passado, o que representa uma queda de 37,5% face a 2019 (ano em que a empresa teve lucros de 13 346 milhões de euros), anunciou esta terça-feira a empresa.

A Volkswagen justifica os resultados com a pandemia. A fabricante de automóveis alemã revelou que a faturação foi de 222 884 milhões de euros no ano passado, o que representa uma queda de 11,8%.

Da mesma forma, o lucro operacional caiu para 9 675 milhões de euros, 42,9% inferior ao de 2019 (16 960 milhões de euros).

O grupo, que no ano passado entregou 9,3 milhões de unidades a clientes (-15,2%), considera que “fecha o ano de 2020 com sucesso apesar do impacto da pandemia”.

O CEO do Grupo Volkswagen, Herbert Diess, disse, na conferência online de apresentação de resultados, que a empresa foi capaz de "acelerar tecnologias futuras ainda mais rápido e maximizar o número de pessoas que beneficiam delas". “O nosso bom resultado em 2020, um ano dominado pela crise, dar-nos-á um impulso para acelerar a nossa transformação”, afirmou Diess.

A China – o mercado mais importante do grupo – recuperou rapidamente e provou ser uma âncora de "estabilidade na crise". Todas as marcas Volkswagen tiveram resultados positivos na China. Na América do Sul, o grupo aumentou a sua participação de mercado para um recorde de 14% e espera regressar este ano ao lucro naquela região.

A posição de liquidez da divisão automóvel mantém-se sólida com 26 796 milhões de euros no final de 2020 (+25,9%).

Para 2021, a Volkswagen prevê que as entregas globais de veículos elétricos vão chegar a um milhão de unidades – estima-se que os veículos elétricos vã representar 60% das vendas da marca na Europa em 2030. Nesse sentido, a empresa já anunciou que vai investir 46 bilhões nos próximos cinco anos em eletrificação e híbridos.