Economia

Despedimentos coletivos ascenderam a mais de 700 em ano de pandemia

De acordo com os mesmos dados, abril do ano passado foi o mês no qual se registaram mais processos iniciados

Os despedimentos coletivos ascenderam a mais de 700 num ano de pandemia, indicam dados do Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. 

De acordo com os mesmos dados, abril do ano passado foi o mês no qual se registaram mais processos iniciados. Já em março, mês em que a pandemia da covid-19 chegou ao território nacional, foram iniciados 57 processos de despedimento coletivo. 

A informação foi avançada pelo ECO, que dá conta que este número representa um salto de quase 105% face aos 12 meses que antecederam a identificação dos primeiros casos de Ccvid-19 em Portugal.

A Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT) revelou ainda que em 2020 foram registados 698 processos de despedimento coletivo, dos quais 279 foram referentes a microempresas, 291 a pequenas empresas, 93 a médias empresas e 35 a grandes empresas.