Sociedade

Portugal espera que vacina da AstraZeneca seja retomada "a curto prazo" pelos países europeus

Governante portuguesa frisou que a decisão de alguns Estados-membros foi tomada para "ganhar o tempo necessário para a Agência Europeia do Medicamento (EMA) fazer a análise", considerada fundamental, sobre as dúvidas existentes acerca do fármaco. 


Portugal espera que os países europeus que suspenderam "temporária e provisoriamente" o uso da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca retomem a administração "a curto prazo".

"Todos os Estados-membros que optaram por fazer esta suspensão temporária e provisória referiram a sua preocupação em conhecer os resultados da avaliação em curso [pela Agência Europeia do Medicamento], que terminará na quinta-feira, e o seu interesse em alinhar posições com a decisão que resulte desses estudos", declarou a ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, que falou em representação da presidência portuguesa da União Europeia (UE), após a reunião virtual dos ministros de Saúde da UE.

Marta Temido afirmou que os países que optaram por esta interrupção "sublinharam ter-se tratado de uma suspensão provisória (...) em resultado de casos de vários países, que os peritos europeus e nacionais estão a analisar cuidadosamente".

"Esperamos que se retome a curto prazo", adiantou, referindo ainda que espera que a suspensão seja de "apenas alguns dias".

A governante portuguesa frisou também que a decisão de alguns Estados-membros foi tomada para "ganhar o tempo necessário para a EMA fazer a análise, que eles consideraram fundamental, sobre dúvidas que tinham".

"Tomaram as suas decisões e comunicaram-nas com transparência", afirmou, referindo que em causa estão "diferentes decisões", seja em termos da suspensão do uso de alguns lotes ou da interrupção da administração do fármaco.

Já a comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, disse ser "muito importante que os cidadãos entendam que, em assuntos relacionados com segurança, [a UE] seguirá a indicação da EMA".