Internacional

Jornalista da BBC desaparecido em Myanmar

Na semana passada, seis jornalistas foram acusados de violar a ordem pública por um tribunal birmanês e outros cinco ficaram em prisão preventiva.


A BBC anunciou, esta sexta-feira, que um jornalista birmanês do seu serviço em Rangum, a maior cidade de Myanmar [antiga Birmânia], "está desaparecido", depois de ter sido levado por homens não identificados.

"Estamos muito preocupados com o nosso jornalista Aung Thura, que foi levado por homens não identificados", anunciou a estação em comunicado.

O jornalista terá sido levado com outro repórter, Than Htike Aung, que trabalha para a agência de notícias local, Mizzima, cujo licença de operação fora revogada pelo governo militar no início do mês. 

Segundo a BBC, os homens que detiveram os jornalistas chegaram numa carrinha sem identificação, pelas 12h locais [5h30 em Lisboa], e exigiram vê-los.

Na semana passada, seis jornalistas foram acusados de violar a ordem pública por um tribunal birmanês e outros cinco ficaram em prisão preventiva.

Segundo o jornal digital Myanmar Now, oito manifestantes morreram, esta sexta-feira, em Aungban em protestos contra o golpe de estado de 1 de fevereiro. No total, segundo dados da Associação pela Ajuda a Presos Polícias, cerca de 230 pessoas morreram nos protestos.

As oito mortes surgem horas depois de Kyi Toe, porta-voz do partido Liga Nacional para a Democracia, ter sido detido pela junta militar.