Desporto

Filipe Albuquerque termina 12 horas de Sebring em quarto lugar

A Wayne Taylor Racing sofreu com duas penalizações e problemas mecânicos, mas ainda assim garantiu o quarto lugar, numa corrida que viu também João Barbosa, da Ligier, terminar em 19.º lugar, quinto na classe LMP3.

Filipe Albuquerque, que foi campeão da categoria secundária das 24 Horas de Le Mans, em setembro de 2020, continua a dar cartas na modalidade. Após ter conquistado o primeiro lugar na corrida inaugural da atual temporada do campeonato americano de resistência automóvel (IMSA, na sigla em inglês), Albuquerque e a sua equipa sofreram na segunda corrida do calendário.

No Autódromo de Sebring, na Florida, nos Estados Unidos, o piloto de Coimbra acabou a competição em quarto lugar, apesar de ter começado na segunda posição da grelha de partida. Albuquerque, Ricky Taylor e Alexander Rossi sofreram durante 12 horas, subindo e descendo posições à medida que eram alvo de novas penalizações, ou de problemas mecânicos relacionados com o sistema de arrefecimento do Accura da Wayne Taylor Racing, que era líder do campeonato no momento da partida.

“Estávamos, desde o início, com um bom andamento, mas depois levámos uma penalização por infração nas boxes. Depois estávamos em segundo e acabei por dar um toque num dos GT. Levámos mais uma penalização. Mas voltámos a recuperar até à liderança. Mas o carro começou com problemas de arrefecimento e ficámos drasticamente mais lentos. No meio disto tudo, o quarto lugar foi um ótimo resultado”, explicou ainda Albuquerque, a seguir ao fim da corrida, em que a equipa do português ficou a 5,318 segundos dos vencedores, os franceses Tristan Vautier, Sébastien Bourdais e Loic Duval, num Cadillac da Mustang Sampling.

Nesta competição encontrava-se também o piloto João Barbosa (Ligier), que terminou na 19.ª posição da geral, quinto da classe LMP3.