Carta de Wall Street

Os velhos do Restelo

Durante muitos anos, riram-se de Elon Musk, a começar pelos executivos das marcas tradicionais de carros. Hoje ninguém se ri: a Tesla é a empresa de carros mais valiosa do mundo.

Nova Iorque, março 2021

Queridas Filhas,

Investir cedo em grandes negócios pode transformar as vossas vidas. Várias pessoas de origens modestas, construíram fortunas. Algumas aplicaram-nas depois benefício da sociedade. Em Portugal temos os exemplos do Engenheiro Belmiro de Azevedo, da Família Amorim, de Calouste Gulbenkian entre muitos outros. 

Qual a melhor forma de encontrar estas oportunidades a tempo e a um preço que dê um retorno que possa mudar as nossas vidas? Encontrar empreendedores que vejam uma grande oportunidade que as demais pessoas não veem. O empreendedor Peter Thiel, que fundou a Paypal e foi o primeiro investidor no Facebook, resume na seguinte pergunta: «O que é que tu sabes que está certo, e que a quase totalidade das pessoas discordam de ti?». 

Em todo o lado em que olhamos para as maiores empresas do mundo vemos exemplos disso. Jeff Bezos criou a Amazon nos anos 90. Na altura, quando angariava investidores, a maior parte do tempo era passado a explicar o que é a internet. E depois como se podia usar um modelo de retalho pela internet para aumentar a gama de produtos oferecidos, cobrar preços menores e oferecer melhor serviço do que o disponível em lojas físicas.

Steve Jobs e Bill Gates viram o potencial de ter um computar em casa ou no nosso bolso para aumentar drasticamente a produtividade de cada um. Steve Jobs conta a história de quando era adolescente ler numa revista de ciência (Scientific American) que entre todos os animais aquele que melhor eficiência tem na energia consumida na sua propulsão face ao seu peso é o condor.

Os humanos ficam no meio da tabela. Os ratos e abelhas ficam nas últimas posições. Contudo, o humano com bicicleta é o mais eficiente de todos com uma grande vantagem face ao condor. Como se dizia na minha escola: rebenta a escala! A lição? A tecnologia aumenta as capacidades dos humanos para além do que se encontra na natureza. As tecnologias de informação fariam o mesmo para os nossos cérebros e quer Steve Jobs quer Bill Gates investiram cedo nessa visão. 

Claro que estas ideias têm sempre muitos velhos do Restelo. Talvez o maior exemplo recente são os carros elétricos. Elon Musk acreditava que podiam ser tão ou mais potentes que os carros a gasolina. Com o design e performance certos, o mercado seria enorme. Durante muitos anos, quase todos se riram dele, a começar pelos executivos das marcas tradicionais de carros. Hoje ninguém se ri: a Tesla é a empresa de carros mais valiosa do mundo.

Como identificar oportunidades que têm um potencial significativo que a grande maioria não vê? Os bons profissionais de investimento têm este dom desenvolvido ao longo de muitos anos de trabalho e aperfeiçoamento. Assim que aconselho a se associarem a um destes. Se quiserem desenvolver essa capacidade vocês, eu posso treinar-vos. Mas preparem-se para um projeto de décadas só possível com muita dedicação…

Tal como os navegadores portugueses dos Descobrimentos, antes de nos lançarmos em projetos com alto potencial e associado risco de perda, precisamos de planear adequadamente. Não podemos usar capital de curto e médio prazo, mas sim capital que não precisamos para a nossa vida quotidiana. Se alguma coisa correr mal, a nossa vida segue. Os navegadores não levaram consigo os recursos necessários para a alimentação e defesa da nação. Mas levaram coragem, uma estratégia (chegar a índia por mar) e provisões e barcos suficientes para as tempestades que certamente tinham pela frente. Tiveram paciência, fixaram-se no objetivo e chegaram a bom Porto.