Sociedade

Agência Europeia do Medicamento admite avaliar vacina chinesa contra a covid-19

Regulador europeu afirma serem "necessárias todas as vacinas eficazes e seguras possíveis para não só dar resposta às necessidades da população europeia, como a nível mundial".


A Agência Europeia do Medicamento (EMA) afirmou, esta terça-feira, estar em discussões com a Sinopharm – farmacêutica estatal chinesa – sobre a sua vacina contra a covid-19.

"Há várias vacinas produzidas por farmacêuticas chinesas e estamos em discussões com um grupo que produz uma dessas vacinas, a Sinopharm, e esperamos ficar em posição de também avaliar essa vacina", disse Emer Cooke, diretora executiva da EMA.

Na comissão de Saúde Pública do Parlamento Europeu, Cooke admitiu serem "necessárias todas as vacinas eficazes e seguras possíveis para não só dar resposta às necessidades da população europeia, como a nível mundial".

A EMA está também a avaliar as vacinas russa Sputnik V, a alemã CureVac e a norte-americana Novavax, na sequência de uma "análise contínua", um instrumento que utiliza para acelerar a avaliação de um medicamento promissor durante uma emergência de saúde pública.

"Não nos podemos esquecer de que são as vacinas que nos vão ajudar a vencer esta pandemia", sublinhou Emer Cooke, dando o exemplo de Israel e do Reino Unido, em que o processo de vacinação está mais avançado.

"Os resultados vindos de Israel e do Reino Unido são promissores e mostram que a eficácia verificada das vacinas durante os ensaios clínicos está a ser comprovada na vida real", disse.