Politica

Costa confirma que estado de emergência vai manter-se até maio

O primeiro-ministro confirmou, esta terça-feira, a informação avançada ontem pelo Presidente da República que disse que o estado de emergência se deveria manter até maio.


António Costa afirmou, à margem de uma visita às obras do liceu Camões, que "pelo menos até ao final do processo de desconfinamento, é preciso manter o estado de emergência".

"Da parte do Governo é esse o entendimento. Pelo menos até ao final do processo de desconfinamento é preciso mantê-lo", acrescentou.

Sublinhe-se que o plano de desconfinamento, apresentado no passado dia 11 pelo Governo, prevê quatro fases: 15 de março, ainda em vigor, 5 de abril, depois da Páscoa, 19 de abril e 3 de maio.

O chefe de Governo aproveitou ainda para sublinhar que, apesar de o país estar "no bom caminho", é preciso redobrar os cuidados, declaração que repete o tom da publicação, feita hoje, por Costa no Twitter.

"As coisas não correm bem por acaso, correm bem se mantivermos a disciplina. Caso contrário, estragamos tudo aquilo que conseguimos", sublinhou, lembrando os "meses dramáticos de janeiro e fevereiro".

Questionado sobre as restrições durante o período da Páscoa, o primeiro-ministro disse: "O primeiro controlo que tem de existir é de nós próprios". O "Governo não impõe restrições para chatear as pessoas, não é assim que queremos viver. Queremos viver numa sociedade responsável", adiantou, acrescentando que a "proibição de [circular entre] concelhos vigorará durante toda a semana e também no fim de semana".