Sociedade

Supremo mantém pena máxima para Rosa Grilo e António Joaquim

Tribunal confirma decisão da Relação de Lisboa. 

Supremo mantém pena máxima para Rosa Grilo e António Joaquim

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) indeferiu, esta quinta-feira, os recursos apresentados pelas defesas de Rosa Grilo e de António Joaquim, mantendo a decisão do Tribunal da Relação de Lisboa, que condenou os arguidos a 25 anos de prisão pelo homicídio do triatleta Luís Grilo, em julho de 2018.

De acordo com o acórdão, a que a agência Lusa teve acesso, os juízes conselheiros do STJ tomaram a decisão de manter as penas máximas a ambos os arguidos.

De realçar que no julgamento, no Tribunal de Loures, Rosa Grilo, mulher da vítima, foi condenada a 25 anos pelo homicídio. Já António Joaquim foi absolvido do crime. Contudo, a defesa da arguida e o Ministério Público, que discordaram da absolvição do ex-funcionário judicial, recorreram para a Relação de Lisboa, que em setembro do ano passado, manteve a pena máxima para Rosa Grilo e aplicou a mesma pena a António Joaquim, revertendo a decisão do tribunal de primeira instância.

Tanto a defesa de António Joaquim como a de Rosa Grilo interpuseram recursos para o STJ, que agora confirmou a decisão da Relação.

Recorde-se que o homicídio de Luís Grilo ocorreu em julho de 2018, na casa do casal, nas Cachoeiras, concelho de Vila Franca de Xira, no distrito de Lisboa.

Os comentários estão desactivados.