Internacional

Navalny diz que está a ser torturado com "privação do sono"

O opositor russo diz que é acordado "oito vezes por noite" pelos guardas do estabelecimento prisional onde está detido.


O opositor do regime de Vladimir Putin, Alexei Navalny, afirmou, num texto publicado no seu site, que está a ser torturado pelos guardas do centro penitenciário onde está detido.

"Privam-me do sono, trata-se de facto de um recurso à tortura por privação do sono", relatou. O político explicou também que é acordado "oito vezes por noite" pelos guardas da prisão.

A denúncia surge pouco tempo depois de Navaly ter pedido cuidados médicos à administração penitenciária e ao procurador-geral.

Ainda na quarta-feira, a advogada no opositor indicou que este sofre de "fortes dores" nas costas e na perna direita e, esta quinta-feira, reiterou que o estado de saúde de Navalny é "decerto extremamente problemático... todos receiam pela sua vida e a sua saúde". 

No entanto, os serviços prisionais consideram que a saúde de Navalny é "considerada estável e satisfatória". "A 24 de março foram efetuados exames médicos a pedido dos detidos", indicaram às agências noticiosas russas.

O opositor do regime de Vladimir Putin foi detido a 17 de janeiro e condenado a dois anos e oito meses de prisão cerca de duas semanas depois. Em causa está o facto de ter violado os termos de uma pena suspensa a que foi sentenciado em 2014. 

O político estava a cumprir a pena em liberdade condicional após ter sido acusado de fraude – uma acusação que diz ter sido fabricada –, quando foi envenenado com um agente neurotóxico do tipo Novitchok, em agosto de 2020. Após aquela que considera ser uma tentativa de assassinato por parte do Kremlin, o opositor de 44 anos foi transferido, a pedido da mulher, da Sibéria para a Alemanha para recuperar. Foi detido ao voltar para a Rússia.