Politica

Governo decide no dia 1 sobre desconfinamento e pede cumprimento de regras na Páscoa

Governo reavalia no dia 1 de abril as medidas previstas para a continuidade do plano de desconfinamento e que irão entrar em vigor no dia 5. 

A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, falou ao país depois do Conselho de Ministros e anunciou que no dia 1 de abril serão tomadas novas decisões sobre as regras que irão entrar em vigor no dia 5 de abril. Até lá, tudo permanece igual.

A governante explicou que “temos condições para continuar o plano de desconfinamento”, mas deixou um alerta. “Apesar de estarmos na zona verde da matriz isso não significa que possamos fazer todas as coisas, mas que há condições para prosseguir”, disse.

Assim, as medidas previstas para o dia 5 de abril, serão reavaliadas pelo Governo no dia 1, uma vez que é necessário perceber se tudo permanece igual ou se é "preciso atenuar ritmo de desconfinamento". Esta decisão depende da situação da matriz de risco. 

“O percurso que temos feito na matriz de risco mostra que temos condições para continuar o plano de desconfinamento, mas também mostra que nos temos aproximado de forma muito significativa a um Rt igual a 1 e precisámos de ter cautela no processo de desconfinamento”, alertou.

Mariana Vieira da Silva frisou que iniciámos o desconfinamento há duas semanas e que, a 11 de março, tínhamos valores de referência de 105 casos por 100 mil habitantes e um Rt de 0,78. Ontem estes valores eram de 67,7 casos por cem mil habitantes e um Rt de 0,81.

A ministra pediu ainda aos portugueses que cumpram as regras na Páscoa. "Sabemos bem que a Páscoa é um período de tradicional reunião familiar, mas essa não pode ser a regra nesta Páscoa”, apelou.

“Para podermos garantir que todas as crianças e jovens vão às escolas, as lojas e esplanadas podem abrir a partir de dia 5 precisámos de nos manter nesta zona verde [da matriz de risco] e cumprir as regras até lá”, concluiu.

Assim, até dia 5 de abril, as regras são as que já estão em vigor, nomeadamente nas atividades que são ou não permitidas, as limitações aos ajuntamentos, o dever de permanecer em casa e a proibição de circulação entre concelhos até às 23h50 de 5 de Abril.

Consulte aqui o comunicado do Conselho de Ministros.