Sociedade

Ministério Público pede pena máxima para pai e madrasta de Valentina

Apesar de ter sido o pai o responsável pelas agressões que levaram à morte de Valentina, a procuradora considera que a madrasta "nada fez para impedir e não tinha nenhum impedimento".


O Ministério Público (MP) de Leiria pediu, esta sexta-feira, 25 anos de prisão para Sandro Bernardo e Márcia Monteiro, o pai e madrasta de Valentina, a menina de nove anos encontrada morta em Peniche, em maio de 2020, alegadamente vítima de violência. Ambos estão acusados dos crimes de homicídio qualificado e de profanação de cadáver, em coautoria.

O casal está também acusado do crime de abuso e simulação de sinais de perigo, enquanto o pai da criança está ainda acusado de um crime de violência doméstica, segundo o despacho de acusação a que a agência Lusa teve acesso.

Apesar de ter sido o pai o responsável pelas agressões que levaram à morte de Valentina, a procuradora considera que a madrasta "nada fez para impedir e não tinha nenhum impedimento". O casal deixou a menina "a agonizar, na presença dos outros menores, indiferentes ao sofrimento intenso da mesma".

Segundo o relatório da autópsia citado pelo MP, a morte de Valentina "foi devido a contusão cerebral com hemorragia subaracnóidea".