Sociedade

Polícia Judiciária e Polícia Nacional espanhola detêm cinco suspeitos de homicídio em Sintra

Os cinco fugitivos estavam a ser procurados desde novembro, momento em que ocorreu o homicídio em Sintra. Três deles foram detidos em Sevilha, os outros dois em Portugal. 


Numa operação conjunta da Polícia Judiciária e da Polícia Nacional espanhola, cinco fugitivos foram detidos, três deles em Sevilha e dois em Portugal, por serem suspeitos de um alegado crime de homicídio em Portugal.

Esta investigação conjunta começou em novembro de 2020, explicou a Polícia Nacional espanhola em comunicado, quando os agentes espanhóis descobriram que Portugal estava a investigar várias pessoas que poderiam estar escondidas em Espanha, depois de terem alegadamente cometido um homicídio em Sintra.

Os cinco fugitivos estavam a ser procurados por factos ocorridos em novembro, que terão sido provocados por uma “discussão acalorada” que culminou em agressões com armas brancas, indicou a Polícia Nacional espanhola.

Na noite do acontecimento, um deles foi amarrado na casa do outro com o intuito de haver um novo confronto e o proprietário da casa disparou contra o rival com uma arma de fogo.

No dia seguinte, outras cinco pessoas foram socorrer o homem amarrado, munidos de armas de fogo e objetos contundentes para o resgatar. De acordo com a investigação, o proprietário da casa foi agredido até à morte.

As investigações de ambas as autoridades policiais permitiram localizar três dos fugitivos em Sevilha, onde foi montado um grande dispositivo policial juntos às casas dos suspeitos.

Foram realizadas buscas domiciliárias nas casas, onde ocorreram os crimes, e foram levantados indícios probatórios, como vestígios de sangue.

Ao mesmo tempo, são localizados no norte de Portugal e detidos pela Polícia Judiciária, os outros dois suspeitos alegadamente envolvidos no homicídio.

Após vários meses de investigação conjunta, a polícia espanhola conclui a operação “com sucesso”. Contudo, ainda há um suspeito em fuga.