Sociedade

Primeiros elementos do contingente português partem para Moçambique na primeira quinzena de abril

Militares, das forças especiais, vão dar formação às forças militares moçambicanas. 

Os primeiros elementos do contingente português que vai ajudar na formação das forças militares moçambicanas partirão para o país na primeira quinzena de abril, confirmou o Ministério da Defesa à agência Lusa.

Segundo a tutela liderada por João Gomes Cravinho, o envio deste contingente de 60 militares portugueses, das forças especiais, é enquadrado pelo novo acordo-quadro de cooperação bilateral que está a ser ultimado pelos ministérios português e moçambicano.

Numa entrevista à mesma agência noticiosa, o ministro já tinha explicado que iriam ser destacados “formadores para formar fuzileiros e comandos”. “São militares que têm essas valências, forças especiais”, indicou, revelado que ficarão no sul do país, perto de Maputo, e no centro.

De realçar que a violência armada na região moçambicana de Cabo Delgado começou há mais de três anos e está a provocar uma crise humanitária sem precedentes, com mais de duas mil mortes e quase 700 mil deslocados. Ontem, o movimento terrorista do Estado Islâmico reivindicou o controlo da vila de Palma, junto à fronteira com a Tanzânia.