Sociedade

Morreu José Vila, o cozinheiro-pintor

Tinha 77 anos. 

Morreu ontem, aos 77 anos, José Vila, cozinheiro e pintor algarvio. Figura emblemática da restauração, Vila tornou-se uma referência nacional. Juntamente como seu amigo Lisa, abriram o Vila Lisa em 1981, na Mexilhoeira Grande, uma adega que passou a ser conhecida depois de Miguel Esteves Cardoso ter feito os primeiros elogios públicos. Depois, António-Pedro Vasconcelos e Miguel Sousa Tavares alargaram a fama do Vila Lisa e a adega tornou-se um ponto de encontro no verão. Por lá passaram figuras como Mário Soares, Carlos do Carmo, Zita Seabra, Eduardo Barroso, entre muitos outros. Entre os muitos episódios memoráveis vividos no restaurante, conta-se o de um jantar em que Robert de Niro, acompanhado por James Gandolfini, o Tony Soprano, se deliciaram com os tradicionais pratos de sopa de grão com rabo de boi, o polvo assado no forno ou o pernil. Depois do repasto, Gandolfini pediu autorização para dormir em cima de uma das mesas. E assim fez.

No espaço, os clientes, que se sentavam em mesas corridas, não pediam qualquer iguaria. Sujeitavam-se ao que se lhes punha à frente e não havia direito a cerveja ou coca-cola. Ali, ou bebiam vinho ou água. Ou gin, a bebida de eleição do pintor-cozinheiro! José Vila, que ganhou o apelido devido à sua paixão pelo poeta Vargas Vila, perdeu uma perna em 2015, devido à diabetes, mas mantinha-se fiel às suas tradições. Mesmo sem uma perna, ainda sonhava com o seu amigo Albino, do Snob, e aparecia com muita regularidade no Gigi (ver vídeo abaixo), na Quinta do Lago, terminando sempre a refeição com o seu charuto.

Recorde aqui a última entrevista de José Vila ao Nascer do SOL e ao i.