Tautologias

Estertores

A Comissária do Conselho Europeu Dunja Mijatovi, após ter falado com representantes identificados do Governo socialista e com não identificados representatives of several civil society organisations [talvez Ascenso Simões, o democrata militante do PS], decidiu emitir internacionalmente um memorandum em que criminaliza o partido Chega, atribuindo-lhe práticas criminais (pela Constituição e pelo Código Penal) que vão da explícita propaganda xenófoba…».

Veremos o que fará a... União. Do que não parece haver dúvida é que pode tratar-se de mais uma acha na fogueira da fragilização da UE – objetivo nuclear de quem lhes encomendou isto.

Penso que terá sido combinado com outro memorando recente da MESMA Comissão do Conselho Europeu (ver abaixo), a exigir que Portugal resolva o contencioso com o passado colonial. Contencioso que, pelos vistos, são eles que têm. E resolver como? Dando mais dinheiro aos SOS Racismos e fazendo mais cedências ao querido BE e entregando-lhe o poder? Um BE agora muito nervoso pela queda eleitoral imparável em curso…

Há, portanto, que esperar mais consequências desesperadas desse estertor, ao qual a zelosa comissária veio também dar a sua ajudinha. É preciso ter ainda em conta os efeitos que isto terá nos regimes políticos e nos brilhantes governos (nacionais e internacionais) que nos desgovernam...

E, já agora, o outro memorando que referi acima:

«Num memorandum divulgado em 24 de Março, a comissária para os Direitos Humanos do Conselho da Europa realça a importância de ‘fornecer à sociedade narrativas [narrativas...] que informem devidamente sobre as estruturas historicamente repressivas do colonialismo, os vieses racistas arreigados e as suas atuais ramificações’».

Para esse efeito, «os currículos escolares, incluindo a educação para a cidadania, constituem um instrumento especialmente útil…», etc., etc. E a tal responsável do Conselho da Europa considera fundamental [CLARO!] envolver as organizações não-governamentais (ONG) antirracismo e defensoras dos direitos humanos na conceção e implementação dessa estratégia. Bem como garantir que «os agentes policiais, procuradores e juízes» recebam «formação sobre a legislação existente em matéria de combate ao racismo e à discriminação, assim como sobre a identificação e tratamento devido dos ilícitos motivados pelo ódio». (Extraído de Esquerda Net).

Tudo, portanto, muito interessante de seguir para um cínico que se esteja marimbando para tudo o que está em curso.