Sociedade

Tempo. Fraca qualidade do ar, calor e chuva para os próximos dias

Para o resto da semana, é esperada chuva mas também temperaturas superiores a 30 graus. Tudo devido a uma massa de ar vinda de África.

A Direção Geral da Saúde (DGS) alertou que, devido a uma massa de ar quente vinda de África, a qualidade do ar no continente vai descer e, por isso mesmo, são necessários cuidados redobrados com a população mais sensível, como crianças, idosos e pessoas com problemas cardíacos e respiratórios.

Devido a este fenómeno, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê queda de aguaceiros acompanhados pela  “deposição de poeiras à superfície”. Fonte do Instituto explicou ainda que o fenómeno é causado por Portugal continental estar “sob a influência de poeiras em altitude, em suspensão, que se devem à circulação em dois centros de acção: uma depressão que se encontra entre o arquipélago da Madeira e o Norte de África e um anticiclone que neste momento se encontra a norte da Península Ibérica”.

A massa de ar está a afetar o continente desde o início da semana mas hoje deverá ser o dia mais quente, com 32 graus previstos para Santarém, 31 para Leiria e 30 para Braga. Amanhã, no entanto, as temperaturas vão descer cerca de 10 graus e ficar pela casa dos 20. É ainda aconselhado a quem vai sair de casa que leve um chapéu de chuva, visto que estão previstos aguaceiros intensos e trovoadas. Para o fim-de-semana da Páscoa e para a semana que vem ainda não há certezas, sendo a dificuldade em fazer previsões a longo prazo bastante característica da altura em que começa a primavera.

As mudanças repentinas no clima obrigaram o IPMA a colocar algumas regiões sob aviso amarelo, nomeadamente Faro e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Se, na última, o aviso terminou ontem, para Faro prolonga-se até à meia noite de quinta-feira devido à agitação marítima na costa Sul, com ondas que podem chegar aos 2,5 metros. Para a Madeira, os avisos devido à chuva e trovoada duram até ao meio-dia de hoje, apenas dias depois de a região autónoma ter ficado às escuras devido ao mau tempo. 

Depois da chuva Ainda a recuperar dos estragos provocados pela tempestade que atingiu a ilha na noite de sábado e na manhã de domingo, a Madeira vê-se novamente sob alerta por causa às más condições atmosféricas. Dos mais de vinte e oito mil relâmpagos registados, quase quatro mil atingiram a terra, fazendo com que a central elétrica sofresse um corte, provocando dois apagões na ilha. Sabe-se também que o monumento do Cristo Rei, com cerca de 14 metros, situado na ponta do Garajau, no concelho de Santa Cruz, ficou danificado.

O presidente da autarquia, Filipe Sousa, revelou que  “há relatos de residentes que, na noite de sábado, viram um raio a cair perto desta localização, seguido de algumas chamas”. A tempestade provocou ainda sete desalojados, sendo que seis deles estão na Pousada da Juventude do Funchal e um em casa de familiares.

No entanto, como “depois da tempestade vem a bonança”, a Ilha da Madeira foi ontem novamente nomeada para “Melhor Destino Insular da Europa”, prémio que já ganhou sete vezes. Além da nomeação nesta categoria, a região autónoma concorre também  “Melhor Destino de Praia da Europa” (Porto Santo), “Melhor Destino Turístico de Aventura da Europa” e “Melhor Destino de Festivais e Eventos da Europa”. Os  agora polémicos “World Travel Awards” decorrem desde 1993 e as votações para a edição deste ano começaram ontem e estão abertas até dia 14 de julho.