Economia

Grupo Mota Engil passa de lucro a prejuízo de 20 milhões

A construtora registou ainda uma quebra de 17% no volume de negócios, para 2.429 milhões de euros.

A Mota Engil fechou 2020 com prejuízos de 20 milhões de euros, depois de ter registado lucros de 27 milhões, no ano anterior. A pesar esteve o registo de 30 milhões contabilizados como «provisões diretamente relacionadas com o risco de acautelar os efeitos negativos» provocados covid-19. A este valor acrescem 10 milhões de euros de uma provisão extraordinária.

A Mota-Engil destaca que a pandemia de covid-19 teve um impacto negativo no EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), que se ficou pelos 380 milhões de euros, uma quebra de 9% relativamente a 2019 (417 milhões).

A empresa explica que o impacto da covid-19 foi contabilizado em 360 milhões de euros no volume de negócios e 45 milhões de euros no EBITDA.

Sublinha que a pandemia penalizou os resultados do ano passado, mas diz que, mesmo assim, a carteira de encomendas atingiu um "valor recorde na história do grupo" de 6.052 milhões de euros (não inclui o projeto ganho em janeiro na Nigéria de 1.820 milhões de dólares).

A construtora registou ainda uma quebra de 17% no volume de negócios, para 2.429 milhões de euros.