Sociedade

Português detido na África do Sul por fraude e corrupção de 7,5 milhões euros

Foi o empresário que se entregou às autoridades de investigação criminal.

Um empresário português, de 62 anos, foi preso pela polícia de investigação criminal no leste de Joanesburgo por suspeitas de fraude e corrupção no valor de 130 milhões de rands (7,5 milhões de euros), confirmou, esta quinta-feira, fonte da Polícia sul-africana à agência Lusa.

"A equipa de Investigação de Crimes Comerciais Graves Hawks, em Germiston, prendeu um homem de 62 anos por alegada fraude e corrupção envolvendo cerca de 130 milhões de rands (7,5 milhões de euros) num esquema de licitação", afirmou a porta-voz policial Ndivhuwo Mulamu.

O português entregou-se às autoridades de investigação criminal, em Germiston, leste de Joanesburgo, na terça-feira, 30 de março, acompanhado de um advogado, tendo sido posteriormente acusado de fraude e corrupção, adiantou a mesma fonte.

O detido, que também tem nacionalidade sul-africana, é diretor da empresa de IT Cornerstone & Blue Kit e "alegadamente inflacionou faturas comerciais que resultaram em prejuízos de cerca de 130 milhões de rands para a operadora de telefonia móvel sul-africana, Cell C, durante o período de 2012 e 2019".

Entretanto, o Tribunal de Crimes Comerciais concedeu liberdade condicional ao suspeito português, mediante o pagamento de uma fiança de 50.000 rands (2.900 euros), tendo adiado o caso para 14 de abril de 2021.

Três outros homens foram detidos, mas, entretanto, também saíram sob fiança, segundo a mesma fonte, terão também inflacionado taxas de serviços.