Economia

Nobel da Economia. Morreu Robert Mundell aos 88 anos

As teorias desenvolvidas por Mundell nos anos 60 estimularam a investigação sobre áreas monetárias e formam a base teórica do conceito da União Económica e Monetária da União Europeia, e da moeda única, o euro.

O canadiano Robert Mundell, vencedor do Nobel da Economia de 1999 e considerado o pai intelectual da criação da moeda única europeia, o euro, morreu aos 88 anos em Siena, Itália.

Professor emérito da Universidade de Chicago e da Universidade de Columbia em Nova Iorque, iniciou a teoria das áreas monetárias ótimas em 1961, demonstrando como, na presença de preços rígidos, a mobilidade da mão-de-obra pode ser considerada um substituto para a flexibilidade cambial.

As teorias desenvolvidas por Mundell nos anos 60 estimularam a investigação sobre áreas monetárias e formam a base teórica do conceito da União Económica e Monetária da União Europeia, e da moeda única, o euro.

Mundell recebeu o Prémio Nobel da Economia em 1999 pela sua "análise da política monetária e fiscal sob diferentes sistemas cambiais, e por uma análise ótima das zonas cambiais", segundo a justificação dada pela Academia na altura, que considerou que tinha lançado "as bases da teoria que domina as considerações práticas das políticas monetárias e fiscais nas economias abertas".

Robert A. Mundell nasceu no Canadá em 1932, e estudou na Universidade da Columbia Britânica e na Universidade de Washington, para passar depois para a London School of Economics na capital britânica.

Em 1956 obteve o doutoramento no prestigioso Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) com uma tese sobre movimentos internacionais de capitais, e desde 1974 é professor no departamento de economia da Universidade de Columbia em Nova Iorque.

Durante as suas análises, alertou em várias ocasiões para os riscos de abandonar a zona euro e salientou que "o euro é um enorme sucesso".