Sociedade

Quase 600 dos novos 874 contágios são referentes ao fim de semana

Boletim parecia indicar um aumento muito significativo nas infeções diárias, mas, afinal, o salto deveu-se apenas a um atraso na notificação de casos no fim de semana de Páscoa.

As autoridades de saúde confirmaram mais 874 novos casos de covid-19 e dois óbitos associados à doença, face aos dados da véspera. De acordo com o boletim da DGS, divulgado esta terça-feira, o país soma agora um total de 824.368 infetados, dos quais 16.887 não resistiram.

Os dados de hoje revelam uma diminuição no número de vítimas mortais, ontem tinham sido seis, e um aparente aumento muito significativo nos novos contágios. Contudo, no boletim consta uma nota que explica a subida. “Os dados apresentados hoje refletem o atraso de integração de 599 notificações laboratoriais positivas que reportam ao fim de semana”, informam as autoridades de saúde.

Lisboa e Vale do Tejo voltou a ser a região onde se registaram mais novos casos, com 318 casos de infeção. Segue-se o Norte, com 273, o Centro com 140, o Alentejo com 57 e o Algarve com 18. No arquipélago dos Açores há mais 37 infetados e no da Madeira mais 32.

As duas únicas mortes associadas à doença, que ocorreram nas últimas 24 horas, foram ambas registadas na Grande Lisboa.

O número de internados, que nos últimos dias tinha aumentado, voltou a registar uma quebra, estando hospitalizadas 504 pessoas com covid-19, menos 32 do que ontem. Nos cuidados intensivos encontram-se 113 infetados, mais um do que nos dados anteriores.

O registo de recuperados das últimas 24 horas disparou, tendo quase 900 pessoas deixado de ter a doença ativa - um valor acima dos novos casos. O total é agora de 781.537.

Atualmente, existem 25.944 casos ativos da doença e as autoridades de saúde têm sob vigilância 18.842 contactos.

Em relação à matriz de risco, mantém-se os valores de ontem, pois estes não são atualizados diariamente.

Assim, Portugal tem agora uma incidência de 62,8 casos de infeção por 100 mil habitantes e de 60,9 no continente.

O R(t) nacional é de 0,98, mas quando considerado apenas o território continental o R(t) é de 1,00.

Portugal mantém-se no verde mas encontra-se cada vez mais próximo do amarelo.

Consulte o boletim na íntegra.