Politica

Carito perde apoio do PSD mas não do CDS

Luís Carito deverá ter o apoio do CDS na sua candidatura à Câmara Municipal de Portimão.

Luís Carito, antigo vice-presidente da Câmara de Portimão, vai concorrer à presidência do município, desta vez através de uma candidatura independente que, ainda assim, deverá ter o apoio do CDS, segundo afirmou João Gonçalves Caetano, líder da estrutura local centrista, ao Nascer do Sol. Carito foi já vice-presidente da autarquia, com as cores do Partido Socialista, tendo também presidido a concelhia do partido em Portimão. Absolvido, em janeiro de 2020, de um caso em que era acusado de crimes de branqueamento de capitais, burla qualificada e participação económica em negócio, Carito foi notícia por, alegadamente, ter engolido uma das provas durante buscas da PJ, algo que João Caetano recorda que nunca foi dado como provado, e que considera que não deverá influenciar a candidatura de Carito.

Inicialmente, o PSD local havia expressado a vontade de apoiar Carito na sua corrida à presidência da autarquia, tendo depois os sociais-democratas mudado de opinião, optando por nomear um candidato próprio. João Caetano, no entanto, mantém a vontade de ter Luís Carito como cabeça de lista de uma candidatura do CDS com independentes, e deixa pela frente só uma incógnita; se será um apoio único do CDS, ou em coligação com outros partidos «do centro-direita». Fora deste plano estarão, no entanto, a Iniciativa Liberal, que negou qualquer apoio ao candidato independente há algumas semanas, e o Chega, que o próprio João Caetano retira da equação, por entender que «não podemos fazer qualquer coisa com o Chega, porque não nos revemos nas suas políticas».