Sociedade

PGR compreende perplexidade perante decisão de Ivo Rosa sobre Operação Marquês

Ministra da Justiça, também presente no encontro, recusou fazer comentários e sublinhou separação de poderes.

A procuradora-geral da República afirmou, esta segunda-feira, que compreendia que vários setores da sociedade tenham manifestado perplexidade, perante a decisão instrutória da Operação Marquês, dada a conhecer pelo juiz Ivo Rosa, e que desconsiderou a maioria dos crimes imputados pelo Ministério Púbico (MP).

"Compreendo alguma perplexidade já manifestada por alguns setores da nossa sociedade", afirmou Lucília Gago, à margem da apresentação de um relatório da Europol na Polícia Judiciaria, em Lisboa.

A PGR fez questão, no entanto, de lembrar que a decisão do juiz "não é definitiva" e que o MP já fez saber que irá apresentar recurso.

Para Lucília Gago, esta é também uma oportunidade "para refletir e aprofundar certos temas que estão em cima da mesa".

Já a ministra da Justiça, presente no mesmo encontro, recusou fazer comentários, dizendo apenas: "As decisões judiciais têm de ser trabalhadas nos tribunais e revogadas pelos tribunais".