Economia

OPEP revê em alta previsão de consumo em 2021

Dos 95,09 milhões de barris por dia no atual trimestre, a procura deve subir para 97,75 milhões no terceiro trimestre e para 99,45 milhões no quarto trimestre.

A OPEP reviu  em alta a sua previsão de consumo mundial de petróleo em 2021, apontando para uma média de 96,5 milhões de barris diários, ou seja, mais 190 mil do que tinha sido calculado há um mês.

Dos 95,09 milhões de barris por dia no atual trimestre, a procura deve subir para 97,75 milhões no terceiro trimestre e para 99,45 milhões no quarto trimestre, segundo os peritos da organização.

A revisão em alta é atribuída a "uma recuperação económica mais forte do que o previsto", baseada na possibilidade de "a maioria da população das economias avançadas estar vacinada e de a pandemia não representar um obstáculo importante para as economias emergentes e em desenvolvimento".

"Além disso é esperada uma aceleração do crescimento económico mundial, com um aumento do consumo depois da poupança forçada das famílias durante os confinamentos", especialmente na China e nos Estados Unidos, refere o relatório.

Espera-se ainda que os programas de estímulos fiscais fomentem o crescimento da indústria e de infraestruturas e também um aumento da procura de produtos agrícolas.

Apesar da melhoria das perspetivas, o consumo de crude não deve regressar tão depressa aos níveis de 2019, assinala o relatório.

Neste contexto, destaca-se a persistência de incertezas e riscos de baixa, que "vão continuar a ser elevados em 2021 em função da evolução da pandemia e do ritmo de vacinação".

O preço médio do barril de petróleo Brent, de referência na Europa, subiu para 65,70 dólares em março, mais 5,5% em relação à média do mês anterior, e o petróleo do Texas WTI (de referência nos Estados Unidos) registou uma valorização de 5,6% para 62,36 dólares, de acordo com o relatório da OPEP.