Politica

Subsídio de risco para PSP e GNR até final de junho, promete MAI

A atribuição do subsídio de risco aos elementos da PSP e GNR está prevista no Orçamento do Estado de 2021.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, prometeu, esta quarta-feira, no Parlamento, que vão ser revistos os suplementos remuneratórios das forças de segurança e concretizada a atribuição do subsídio de risco, até ao final de junho, aos elementos da PSP e da GNR.

"Foi constituído um grupo de trabalho para que dentro do prazo previsto no Orçamento do Estado deste ano, até junho, termos revisto os suplementos remuneratórios nas forças de segurança, designadamente envolvendo o subsídio de risco", disse o governante, que está a ser ouvido na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

Eduardo Cabrita adiantou que as reuniões no âmbito do diálogo social com os sindicatos e associações sócioprofissionais das forças de segurança já foram retomadas. Uma primeira reunião está já marcada para o dia 29 de abril, de acordo com o secretário de Estado de Adjunto da Administração Interna, Antero Luís. 

O grupo de trabalho em causa é constituído por elementos dos ministérios da Administração Interna, Finanças e da Modernização do Estado e da Administração Pública.

A atribuição do subsídio de risco aos elementos da PSP e GNR está prevista no Orçamento do Estado deste ano. Segundo a lei do OE, até ao final do primeiro semestre deste ano, o Governo tem de desenvolver "as diligências necessárias com vista à atribuição de subsídio de risco aos profissionais das forças de segurança, mediante o adequado processo de negociação com as respetivas associações representativa". 

Já esta terça-feira, cerca de 50 elementos da PSP concentraram-se em frente ao Centro Cultural de Belém, em Lisboa, para reivindicar a atualização dos salários e a atribuição de subsídio de risco.