Internacional

Nenhum membro da família real irá utilizar uniformes militares no funeral do princípe Philip

Objetivo é evitar "constrangimentos". Harry serviu o exército britânico durante 10 anos, mas renunciou às suas funções reais quando anunciou a sua saída da realeza no ano passado. 


Nenhum membro sénior da família real britânica vai vestir o uniforme militar no funeral do príncipe Philip. A ordem, determinada pela Rainha Isabel II, tem como objetivo evitar "constrangimentos", nomeadamente para o príncipe Harry e para o príncipe Andrew.

Segundo o jornal britânico Daily Mail, a expectativa era de que o funeral tivesse honras militares. No entanto, "havia o risco de constrangimento" e a monarca decidiu optar por uma cerimónia civil. Agora todos terão de utilizar um traje de luto e uma gravata preta.

"A Rainha não quer nenhuma distração daquilo que é realmente importante: celebrar a vida notável do duque de Edimburgo", disse uma fonte do Palácio de Buckingham àquela publicação.

Harry serviu o exército britânico durante 10 anos, tendo ocupado o cargo de capitão-geral dos Royal Marines – título que pertencera ao príncipe Philip –, mas renunciou às suas funções quando anunciou a sua saída da realeza no ano passado. 

A decisão da Rainha tem também em conta o príncipe Andrew, que foi afastado das suas atividades militares após estar envolvido no escândalo sexual do empresário norte-americano Jeffrey Epstein.

O funeral do príncipe Philip, falecido a 9 de abril, realizar-se-á no próximo sábado, dia 17 de abril, no castelo de Windsor. Devido à pandemia de covid-19, só serão permitidos 30 convidados na cerimónia.

Será um "funeral real cerimonial" e não um funeral do Estado, algo que "reflete muito os desejos do duque", afirmou um porta-voz de Buckingham.