Sociedade

Suspeitas de reações adversas às vacinas AstraZeneca, Pfizer, Moderna e Janssen representam 0,3% na UE

Em Portugal, a vacina da Pfizer foi a que originou mais registos de suspeitas.


A probabilidade de ocorrerem efeitos secundários ao tomar as vacinas da AstraZeneca (Vaxzevria), Pfizer, Moderna e Janssen não ultrapassa os 0,3%.

Esta informação é fornecida pelos dados da plataforma europeia de vigilância de reações adversas. Até terça-feira, foram notificadas 163.582 suspeitas de efeitos secundários da vacina da AstraZeneca, 106.375 da Pfizer, 14.235 da Moderna e 202 da Janssen.

No caso específico de Portugal, a maioria dos casos de suspeitas de efeitos secundários reportados foram com a vacina da Pfizer, tendo sido reportadas 3.220 situações. Já com a AstraZeneca registaram-se 730 suspeitas e 241 com a da Moderna.

De notar que a vacina Janssen nunca foi administrada em Portugal, tendo recebido as primeiras 31.200 doses do fármaco, que estão reservadas para o momento em que o regulador europeu aprovar a sua utilização.

Estas reações adversas são manifestações clínicas que podem ou não estar relacionadas com a vacina, contudo só surgiram após a administração.

De acordo com a plataforma europeia de vigilância de reações adversas, os dados atualizados até terça-feira mostram que a maior parte das reações reportadas estão classificadas como "gerais e relativas ao local de administração", seguindo-se reações ao nível do sistema nervoso, do musculoesquelético e do gastrointestinal.