Sociedade

Distância e máscaras devem manter-se nos espaços públicos

Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças emitiu novas orientações para os Estados-membros. 


O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC na sigla inglesa) admite que as medidas de saúde pública podem começar a ser relaxadas em contactos entre pessoas “completamente” vacinadas ou no caso de jovens vacinados e sem fatores de risco mas nos espaços públicos e grandes ajuntamentos, na atual situação epidemiológica, deve manter-se o distanciamento e o uso de máscaras, independentemente do estado vacinal.

As novas recomendações aos estados-membros foram publicadas esta quarta-feira, numa altura em que 22,9% da população da UE já tem pelo menos a primeira dose da vacina da covid-19 e 8,4% a vacina completa. E há pela frente as decisões sobre o verão, que no ano passado em Portugal não foi ainda de uso obrigatório de máscara na rua – a medida foi decretada a 28 de outubro e foi renovada em março até 14 de junho.

O ECDC salienta que desenvolveu cenários para que os estados-membros possam decidir manter ou aliviar as chamadas “intervenções não farmacológicas” (NPIs), implementadas desde o início da pandemia. Quando um indivíduo com a vacinação completa contacta outras pessoas igualmente vacinadas, a posição do organismo é que medidas como a distância física e uso de máscaras podem ser relaxadas, mesmo no caso de idosos.

Já se se tratar de um jovem ou adulto de meia idade vacinado a ter contacto com alguém que não fez a vacina, os cuidados também podem ser menores, mas o organismo alerta que é preciso perceber se se existem fatores de risco. Já quanto a espaços públicos e ajuntamentos, a posição é de que é cedo: “No atual contexto epidemiológico na UE, em espaços públicos e em grandes encontros, incluindo durante viagens, as medidas devem ser mantidas independentemente do estado de vacinação dos indivíduos”, diz o organismo.