Internacional

Justiça espanhola exige remoção de cartaz político do Vox contra acolhimento de menores estrangeiros

O cartaz está afixado numa estação de metro da Puerta Del Sol, em Madrid, no qual o Vox passa a mensagem de que os menores estrangeiros que são acolhidos em Espanha recebem um subsídio, sendo este superior à pensão de viuvez.

A Fiscalía Providencial de Madrid, correspondente ao Ministério Público português, apresentou uma queixa contra o partido de extrema-direita Vox por ter colocado um cartaz, que segundo a justiça espanhola, cuja mensagem pode ser considerada um crime de ódio.

Como medida cautelar, a justiça pediu que o anúncio seja retirado “com a maior brevidade possível”.

O cartaz está afixado numa estação de metro de Puerta Del Sol, em Madrid, no qual o Vox passa a mensagem de que os menores estrangeiros que são acolhidos em Espanha recebem um subsídio, sendo este superior à pensão de viuvez.

Na imagem está representada uma idosa, à qual é atribuída uma pensão no valor de 426 euros, e em frente um jovem de pele escura, com a cabeça tapada com o capuz da camisola e com a cara igualmente coberta por um lenço”, a quem foi atribuído um custo de acolhimento de 4.700 euros mensais, explicou a justiça espanhola num comunicado.

De acordo com a Fiscalía Providencial de Madrid, o partido de extrema-direita pretende, com este cartaz, transmitir "não só um suposto custo económico do acolhimento de um 'mena' [sigla informal de 'menor estrangeiro não acompanhado'] comparado com o de um pensionista, questionando-se, assim, o seu caráter ético e legal, mas também uma imagem física preconceituosa do menor como pessoa estrangeira, violenta e criminosa, ao ser este conceito incorporado como caráter geral respeitante a um indivíduo encapuçado, mascarado e racializado".