Internacional

Comité Internacional da Cruz Vermelha revela casos "chocantes" de violência sexual em Tigray

Alguns dos relatos ouvidos são "testemunhos em primeira mão de mulheres que visitam os centros de saúde e hospitais" apoiados pela Cruz Vermelha na região no norte da Etiópia, contou o diretor-geral. 

Vários casos de violência sexual estão a reportados em Tigray, no norte da Etiópica, enquanto a região está envolvida num cenário de guerra entre os exércitos etíopes e eritreus.

Quem revela estes episódios é o diretor-geral do Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Robert Mardini, que disse, numa entrevista à agência France Presse (AFP), estar muito preocupado com a violência sexual.

"Estes relatórios são extremamente horríveis, muito chocantes. Há mais de duas décadas que não ouço relatos tão terríveis no setor humanitário", confessou o responsável, que chegou a lidar com os conflitos entre a Síria e o Iémen.

Alguns dos relatos ouvidos, explicou Mardini, são "testemunhos em primeira mão de mulheres que visitam os centros de saúde e hospitais" apoiados pela Cruz Vermelha em Tigray.

O que levou o CICV a avaliar neste momento “a extensão e magnitude desde problema" e já colocou várias questões às autoridades da Etiópia.

O partido no poder - Frente de Libertação do Povo Tigray – foi derrubado por um golpe militar comandado pelo exército etíope, com a ajuda das forças da Eritreia e com o incentivo de Abiy Ahmed, Prémio Nobel da Paz em 2019.

Contudo, os combates entre os dois países continuaram e as forças eritreias são acusadas de vários massacres e crimes sexuais.