Sociedade

Quase mil pessoas detidas por desobediência desde o início da epidemia em Portugal

Dados do MAI revelam que PSP e GNR encerraram perto de quatro mil estabelecimentos.

Quase mil pessoas foram detidas pela PSP e GNR desde o início da epidemia no país, em março de 2020, um terço das detenções deveu-se a desobediência ao confinamento obrigatório, segundo dados do Ministério da Administração Interna (MAI).

As 979 detenções foram levadas a cabo entre 19 de março de 2020, quando entrou em vigor o primeiro período de estado de emergência, e 15 de abril deste ano. As autoridades encerraram também 3.980 estabelecimentos comerciais por incumprimento das restrições impostas pela covid-19.

Os dados do MAI revelam ainda que entre 27 de junho de 2020 e 15 de abril deste ano, foram identificadas 52.173 contraordenações, 46.010 (cerca de 88%) das quais desde 15 de janeiro, quando o país entrou no segundo confinamento.

A maioria das contraordenações está relacionada com os incumprimentos do dever geral de recolhimento domiciliário (27.089) e limitação de circulação entre concelhos (7.751).

As forças de segurança contabilizaram também 5.121 contraordenações por consumo de álcool na rua, 3.512 por não utilização de máscara na rua e espaços públicos, 1.192 por incumprimento de horário de funcionamento e 1.297 por incumprimentos do uso obrigatório de máscara nas salas de espetáculos ou estabelecimentos públicos.

Foram ainda levantados 846 autos por incumprimento do uso obrigatório de máscara nos transportes públicos e 57 por recusa em realizar o teste SARS-CoV-2.

Sublinhe-se que o MAI deu a conhecer o relatório no dia em que o Presidente da República anunciou que não iria renovar o Estado de Emergência.