Sociedade

ERC "repudia categoricamente" agressões a repórter após jogo entre o Moreirense e o FC Porto

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social sublinha que o profissional de comunicação social “se viu impedido de realizar o seu trabalho em condições de segurança profissional e pessoal, situação suscetível de condicionar a liberdade de informação”.

O Conselho Regulador da ERC – Entidade Reguladora para a Comunicação Social anunciou, esta quarta-feira, ter tomado conhecimento, “com particular preocupação”, das agressões a um repórter de imagem no final do jogo entre o Moreirense FC e o FC Porto, na passada segunda-feira, dia 26 de abril.

Em comunicado, a entidade sublinha que o profissional de comunicação social “se viu impedido de realizar o seu trabalho em condições de segurança profissional e pessoal, situação suscetível de condicionar a liberdade de informação”.

“A ERC repudia categoricamente o clima de intimidação e violência a que os profissionais da comunicação social possam estar sujeitos no exercício da sua atividade, apelando à intervenção pronta e firma das autoridades policiais, desportivas e judiciais, para que se evite, no futuro, a repetição destas situações”, acrescenta.