Sociedade

Milhares de artigos pirotécnicos apreendidos perto de uma escola em Guimarães

Os artigos pirotécnicos foram apreendidos num estabelecimento comercial que “abastecia” alunos de uma escola. Os alunos vendiam os artigos – conhecidos como ‘bombinhas' ou petardos – entre si e deflagravam-nos na escola e suas imediações, "como se de um brinquedo se tratasse".

A Polícia de Segurança Pública (PSP) apreendeu, esta quarta-feira, milhares de artigos pirotécnicos num estabelecimento comercial em Guimarães. Os artigos, sem rotulagem, eram vendidos a alunos de uma escola das proximidades.

A operação foi desencadeada após várias denúncias que davam conta da existência de artigos pirotécnicos a circular entre alunos da escola. Segundo as denúncias, os alunos vendiam os artigos – conhecidos como ‘bombinhas' ou petardos – entre si e deflagravam-nos na escola e suas imediações, "como se de um brinquedo se tratasse".

Segundo a PSP, o proprietário do estabelecimento foi detido e notificado para comparecer no Tribunal Judicial de Guimarães, por ter na sua posse uma arma proibida, concretamente um bastão extensível. O homem, de 37 anos, tinha ainda na sua posse várias embalagens de artigos pirotécnicos diferentes para venda, "sem controlo de entrada em território nacional". O estabelecimento comercial não tem licença para a venda daquele tipo de produtos.

Os artigos eram vendidos "de forma indiscriminada, contrariando todas as normas existentes nesta matéria e pondo em perigo os seus compradores".

Em comunicado, a PSP deixou um alerta: "A indevida utilização destes artigos pirotécnicos por crianças pode provocar graves lesões e até amputação de membros".