Desporto

Pinto da Costa: "Não vi nenhuma agressão" a repórter de imagem

Pinto da Costa revela que não viu “nenhuma agressão” nem “nenhuma imagem em que se veja o [agente] Pedro Pinho a agredir alguém”. Sobre a suspensão de Sérgio Conceição, o clube “vai recorrer para o plenário do Conselho de Disciplina, como fez o Sporting há algum tempo”.

O presidente do Futebol Clube do Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, falou, esta quarta-feira, sobre as agressões a um repórter de imagem da TVI após o jogo Moreirense – FC Porto, na passada segunda-feira, 26 de abril.

“Vi que estavam a filmar e queria saber o que queria, limitei-me, calmamente, a perguntar se havia algum problema. Disseram que não e vim-me embora.”, começou por contar em entrevista ao Porto Canal.

Pinto da Costa revela que não viu “nenhuma agressão” nem “nenhuma imagem em que se veja o [agente] Pedro Pinho a agredir alguém”, mas sim a “tentar tirar e a tapar a câmara ao repórter de imagem”.

“O que vi na altura foi ele a querer tirar a máquina e a tapá-la para não deixar filmar. Não vi nenhuma agressão. Mas qualquer ato de violência, rejeito, censuro e não posso tolerar”, continuou.

Segundo o presidente portista, o empresário “é portista, sócio, mas não tem nenhum cargo, é empresário de futebol que trabalha com muitos clubes e não só com o FC Porto”. Pinto da Costa disse ainda é “totalmente mentira” que Pedro Pinho tenha “faturado 16 milhões de euros com o FC Porto nos últimos anos”

“Em cinco anos, faturou do FC Porto, por serviços prestados, porque vendeu por exemplo o Ricardo ao Leicester, 3 milhões e 300 mil euros. Mas também meteu nos cofres do FCP 7.5 milhões pelo empréstimo do Casemiro. São negócios. Vê-se tanta mentira que até fico assustado.”, acrescentou.

Sobre o castigo de 21 dias de suspensão aplicado ao treinador Sérgio Conceição, Pinto da Costa revela que o clube “vai recorrer para o plenário do Conselho de Disciplina, como fez o Sporting há algum tempo”.

“Queremos o mesmo tratamento que o Sporting teve, foi castigado num dia, no dia seguinte, o plenário reuniu e decidiu.”, sublinhou.