Politica

Manuel Alegre sai em defesa de Cravinho e diz que declarações de Constança Urbano de Sousa são "um insulto"

Histórico socialista diz que se sentiu “muito maldisposto” com as declarações da vice-presidente do grupo parlamentar do PS. 

Manuel Alegre reagiu às palavras de Constança Urbano de Sousa sobre João Cravinho e deixou duras críticas à deputada socialista.

Em causa estão as declarações do ex-ministro de António Guterres numa entrevista à SIC. O responsável, que apresentou um conjunto de propostas para combater a corrupção, em 2006, disse que “a visão política de José Sócrates como primeiro-ministro e secretário-geral do PS era de não combate à corrupção”. Cravinho foi mais longe e classificou a posição do partido, nessa altura, em relação às propostas que apresentou, como “inconcebível”.

“Deve estar com a memória um pouco afetada”, respondeu, na TSF, Constança Urbano de Sousa. A vice-presidente do grupo parlamentar do PS e ex-ministra da Administração Interna argumentou que o PS esteve na linha da frente do combate à corrupção e que as medidas de João Cravinho foram quase todas aprovadas.

Ao Expresso, Manuel Alegre considera que as palavras de Constança Urbano de Sousa “foram um insulto, uma canalhice e uma falta de respeito por pessoas que tiveram um papel histórico no partido”. O histórico socialista afirmou mesmo que o próprio se sentiu “insultado” e “muito maldisposto” ao ouvir as declarações.

“Isto é uma falta de respeito imprópria da vida democrática”, afirmou.

“A corrupção é um problema das democracias” e “o PS deve ter um papel fundamental a combatê-la”, defendeu.